Suíno vivo em queda e milho em alta preocupa suinocultores

19/01/2016
Confira observações do consultor Fabiano Coser sobre o mercado do suíno vivo e o aumento do preço do milho

Os produtores de suínos do estado de Santa Catarina, maior produtor nacional, já se mostram apreensivos com a situação do mercado, que nas últimas semanas apresentou queda no preço do quilo do suíno vivo enquanto disparou a cotação do milho, principal ingrediente do custo de produção da suinocultura. Este duplo movimento contrário à produção de suínos, atinge sobretudo os pequenos produtores e os produtores independentes, responsáveis diretos pela compra dos insumos, diferentemente do mercado integrado, em que a ração é fornecida pela empresa integradora. No que se refere ao preço do animal vivo, a referência da bolsa de suínos do estado de São Paulo caiu 6,5% na última semana, passando de R$ 4,16 o quilo vivo na segunda-feira da semana passada (11/01) para R$ 3,89 na reunião de hoje (18/01).

 

Em Minas Gerais, maior polo de produção independente de suínos do Brasil, a bolsa de Belo Horizonte permaneceu mais uma vez em aberto, assim como na semana anterior, mostrando a discordância da avaliação de mercado entre produtores e frigoríficos. A maior preocupação neste momento é com a especulação no mercado de milho. Após o recorde da exportação de 28,9 milhões de toneladas em 2015, aumento de 40% em relação ao ano anterior, as perspectivas para as vendas externas do milho brasileiro em 2016 continuam elevadas, estimulas tanto pelo câmbio favorável quanto pela excelente demanda internacional.

 

Na última sexta-feira (15/01), a África do Sul anunciou que deve comprar entre cinco e seis milhões de toneladas de milho, devido à perda de um terço de sua safra em razão do clima seco, e com certeza o Brasil estará entre os principais fornecedores. Também na semana passada a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), estimou que a queda na primeira safra de milho do Brasil será de 7,7%, com colheita estimada em 27,8 milhões de toneladas. Na produção total de 2016 o volume de milho deve ser 2,8% menor, com 82,32 milhões de toneladas neste ano contra 84,6 milhões de toneladas em 2015. Em Rio Verde, no estado de Goiás, a saca de 60 quilos de milho não sai por menos de R$ 36,00, enquanto no Rio Grande do Sul os produtores de suínos já estão pagando mais de R$ 40,00 pela saca do produto.

 

(Fonte: Blog do Coser, do consultor Fabiano Coser.

http://www.blogdocoser.com.br/categorias-de-noticia/comentarios-do-coser/310-suino-vivo-em-queda-e-milho-em-alta-preocupa-suinocultores)

Compartilhar


NOVO WEB SITE DA APS Desktop, Tablet e Mobile
Mais comodidade para você! Flexivel para navegar e visualizar em qualquer lugar.
Escolha Opções Tema
Customise o site Cores Predefinidas de Capa
Texturas de Fundo
Imagens de Fundo