Paraná confirma presença em Workshop que debate defesa sanitária e a peste suína clássica no Brasil

19/08/2014
Evento será realizado pela ABCS e ABEGS no dia 2 de setembro em São Paulo

A biossegurança do rebanho de suínos brasileiro e o status sanitário dos diferentes estados produtores serão alguns dos temas do Workshop “Defesa Sanitária e a Peste Suína Clássica no Brasil”, que será realizado no dia 2 de setembro, a partir das 14h, no Hotel Golden Tulip, em São Paulo, pela Associação Brasileira dos Criadores de Suínos, em parceria com a Associação Brasileira das Empresas de Genética de Suínos (Abegs) e apoio da CNA e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

O tema tem grande importância, pois a partir de 2015, a doença será de reconhecimento internacional pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), o que obrigará os países a adequar serviços de vigilância epidemiologia às exigências desta entidade internacional.

O presidente da ABCS, Marcelo Lopes, lembra que a associação nacional promove o debate sobre o tema desde o ano passado, quando recebeu representantes de 22 países das Américas, durante o Seminário Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura, em Gramado, em agosto de 2013.

“Sediamos a discussão sobre o Plano de Erradicação da Peste Suína Clássica (PSC) nas Américas já como forma de introduzir a suinocultura brasileira no tema. Agora, ser declarado livre de PSC será de fundamental importância para exportação e, assim, convocamos produtores, técnicos e empresas amigas a participar do Workshop e alinhar os esforços”, convida.

O evento já conta com a confirmação dos representantes das defesas sanitária de vários estados como Bahia, Ceará, Santa Catarina, Goiás, Minas Gerais e Mato Grosso, além de produtores e executivos de frigoríficos e cooperativas. A ABCS também aguarda a confirmação dos representantes das defesas estaduais das outras entidades afiliadas à entidade que estarão presentes.

O diretor-executivo da ABS, Nilo de Sá, explica que a PSC passa a ter o mesmo nível de importância de outras doenças, como a febre aftosa, e assim os países (estados, zonas ou compartimentos) necessitarão ser reconhecidos como livres da enfermidade para manter as exportações. Entre as exigências, estão as monitorias sorológicas, notificações de casos suspeitos e controle de suídeos asselvajados, entre outras.

“O objetivo deste Workshop é reunir todas as defesas estaduais, empresas privadas e produtores para fazer um alinhamento e, assim, tornar apto o maior número de estados no menor espaço de tempo possível. Poderemos identificar os estados mais avançados no cumprimento das exigências e estabelecer um cronograma para os demais. Queremos, enfim, mobilizar a iniciativa privada e o poder público para um esforço conjunto”, resume.

O presidente da ABEGS, Alexandre Rosa, frisa que a associação investe, desde sua fundação, há 5 anos, em parcerias com a ABCS e o Mapa em busca de uma conscientização cada vez maior do setor sobre biossegurança e proteção sanitária no país. Anteriormente, a parceria fez-se presente no investimento na Estação Quarentenária de Cananeia (EQC) e na organização do Workshop sobre a PED, em Brasília.

“Cremos piamente que o status sanitário do Brasil, que ainda é livre de diversas enfermidades virais emergentes, tem sido um diferencial competitivo relevante para a toda nossa cadeia produtiva. Continuaremos apoiando e investindo em ações conjuntas de defesa sanitária que possam fortalecer a posição competitiva global do nosso país em termos de saúde suídea”, afirma.

O diretor do Departamento de Sanidade Animal do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Guilherme Marques, participará do evento bem como manifesta a relevância do debate sobre a PSC em um momento no qual o comércio internacional torna-se cada vez mais exigente.

“A iniciativa é muito oportuna, uma vez que o tema está em discussão no Brasil e no mundo todo. Devemos estar prontos para corresponder aos mercados mais exigentes bem como nos preparar para os desafios das doenças externas ou emergentes. Temos também que proteger a suinocultura pela sua importância social e econômica. A expectativa é motivar a discussão com os pés no chão para alcançar as melhores classificações para o Brasil no menor tempo possível”, opina.

O Paraná já confirmou presença no Whokshop, em São Paulo, para o qual mandará representantes da Associação Paranaense de Suinocultores – APS, bem como o próprio Governo do Estado, através da ADAPAR – Agência de Defesa Sanitária Animal do Paraná, que terá ao menos um técnico participando dos debates.

A programação do Workshop conta com a abertura do presidente da ABCS, Marcelo Lopes; do presidente da ABEGS, Alexandre Rosa; e da Chefe-geral da Embrapa Suínos e Aves, Janice Zanella; com a palestra “Peste Suína Clássica: Avanços e Desafios” do diretor do DSA do Mapa, Guilherme Marques; e a apresentação “Gestão Compartilhada de Programas de Sanidade Suídea” de Jader Nones da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola. O evento será encerrado com um debate entre os participantes e o público.

(Fonte: ABCS)

Compartilhar


NOVO WEB SITE DA APS Desktop, Tablet e Mobile
Mais comodidade para você! Flexivel para navegar e visualizar em qualquer lugar.
Escolha Opções Tema
Customise o site Cores Predefinidas de Capa
Texturas de Fundo
Imagens de Fundo